ESTUDO REVELA QUE TRAJETO DE IDA E VOLTA ENTRE CARPINA E O PAUDALHO É O DE MAIOR FREQUÊNCIA DO PAÍS

No Brasil existem 65.939 ligações entre uma cidade brasileira e outra do país – ou do exterior -, seja de ônibus, barco, lancha, van ou algum outro tipo de transporte público coletivo. Esse dado é da publicação Ligações Rodoviárias e Hidroviárias 2016, lançada hoje pelo IBGE. A pesquisa mostra, ainda, que São Paulo é a cidade que mais oferta possibilidades de viagem. Da capital paulista é possível comprar passagem para 1.477 diferentes cidades.

O trajeto de ida e volta entre os municípios pernambucanos Carpina e Paudalho é o de maior frequência no país, com 2.855 viagens disponíveis por semana. A viagem de Fortaleza a Pelotas é a mais cara do Brasil, pois tem o custo mínimo de R$ 931,26. Os trajetos mais baratos custam R$ 1,00 e acontecem entre os municípios paraenses Baião e Mocajuba; entre as cidades piauienses Cristiano Castro e Palmeira do Piauí e entre os municípios potiguares Espírito Santo e Várzea.
Entre os dados tem também algumas curiosidades como a viagem de ônibus mais longa, que acontece de São Paulo a Lima, no Peru. O valor mínimo dessa passagem é de R$ 910,00 e a duração é de 6.120 minutos, ou seja, mais ou menos quatro dias de viagem.

Contando o transporte rodoviário e hidroviário, a viagem mais longa é de barco entre o município amazonense Japurá e a capital Manaus. Esse trajeto dura 8.640 minutos, o que significa seis dias. Essa passagem tem o custo mínimo de R$ 230,00.

ESTUDO É INÉDITO NO BRASIL

Ligações Rodoviárias e Hidroviárias mostra todos os pares de cidades conectados pelos serviços de transporte público; a frequência semanal das viagens, ponderada pelo tipo de veículo; o custo; e o tempo dos deslocamentos, construindo um quadro nacional de interconexões entre os municípios, indicando os pontos mais acessíveis do território e também as localidades com acesso mais periférico ao sistema de transporte.


O estudo, inédito no Brasil, teve como objetivo entender como é o padrão de interação entre as cidades brasileiras e a maneira como elas se conectam através das ligações por transporte público e coletivo de passageiros.  A coleta de dados foi realizada nos terminais rodoviários e hidroviários, nos pontos de vendas de passagem, nas paragens de ônibus e nos locais de transporte alternativo de todos os municípios do Brasil.

“Verificamos em campo que se nós nos ativéssemos às empresas formais isso não iria dar um quadro satisfatório de ligações, então foram incluídos os transportadores que não declararam o CNPJ.  É a primeira vez que tem uma pesquisa nacional que pega o transporte rodoviário e hidroviário, formal e informal”, afirma Marcelo Motta,  gerente da pesquisa.

APLICATIVO PERMITE PÚBLICO FAZER POSSÍVEIS COMBINAÇÕES DE VIAGENS

Além de análises, tabelas e mapas sobre o estudo, a pesquisa está disponibilizando também um aplicativo no qual o público vai poder fazer diferentes combinações para responder perguntas como: Da minha cidade consigo comprar passagem para quais outras cidades? Qual é a viagem mais longa que posso fazer a partir da minha cidade? E qual é a mais cara? De onde para onde consigo ir com R$ 50,00? E com R$ 2,00?

A pesquisa completa pode ser acessada aqui e o aplicativo aqui , no link mapa interativo.

Fonte: IBGE